domingo, 26 de abril de 2015

Treze medos de infância


O tema desse mês no Círculo Secreto é sobre os medos de infância, então, o número 13, já que é um número temido por algumas pessoas (não por mim, eu gosto). Acho que era uma criança com poucos medos bobos.

1. Escuro:

O clássico medo de escuro. Não sabia que tive esse medo até  um ex-namorado da minha mãe me contar isso (desconfio dessa informação). Lembro que tinha dormia à meia-luz, mas não lembrava que era por isso, pois não lembro de chorar nem me sentir apavorada.

2. Sombras no teto ou na parede:

Quando me deitava para dormir, enquanto esperava o "João Pestana", ficava observando as sombras projetadas nas paredes e no teto. Via várias formas ~bizarras~ nas sombras (como fazemos com as nuvens, sabe?) Aquilo me assustava um pouco, não o suficiente para me fazer chorar. Talvez tenha alguma ligação com o medo de escuro.

3. Andar de bicicleta:

Morria de medo. Muitas vezes tentei, mas não conseguia me livrar das benditas rodinhas. Até que uma amiga da escola me ensinou na bicicleta dela. Eu tinha 10 anos. Eu consigo, porém precisa ser em um lugar que não passe carro nem muitas pessoas. Tenho medo de andar com uma mão só (que dirá sem as duas! x_X).


4. Me machucar:

É um medo que tenho até hoje. Está ligado com o medo de andar de bicicleta, mas também a qualquer coisa "mais radical", como andar de patins, de skate ou até mesmo qualquer coisa que envolva uma bola.

5. Abelhas ou inseto voando:

Joaninha achada no jardim do meu
pai
Adoro insetos. Isso é amor verdadeiro. Tanto que eu gostaria muito de estudar entomologia e trabalhar com isso. Também acho interessantes outros artrópodes e os cefalópodes. Penso que são tão fascinantes e belos que fazem meu lado ateu duvidar da inexistência de uma divindade (e esta tem grande sensibilidade artística). Porém nunca gostei quando os insetos resolvem me fazer algum ataque surpresa (principalmente baratas). Já me assustei com uma borboleta! *rsrsrs* Depois que vejo que não vai me machucar, fico mais tranquila. Fui picada no rosto por uma daquelas abelhas pretas e amarelas lindas quando era criança. Entra nisso, os marimbondos também.

6. Aquele filme de terror:

Minha mãe sempre foi fã desse tipo de filme, então ela me fazia assistir com ela. Graças a ela, eu adoro também. Ela sempre me dizia que era tudo falso, de mentira, com efeitos especiais e muita maquiagem, logo, não tinha nada a temer. Mas teve ~esse~ filme de terror, que não lembro o nome, nem a história. Só lembro de ter um grupo de pessoas e espíritos de gente morta / demônios numa casa. Numa cena, uma garota levantava a tampa do vaso e tinha a cara de um demônio lá. Eu fiquei com medo de ter um demônio querendo a minha pepeca quando eu fosse no banheiro, então eu sempre olhava antes. *kkkkkkk XD*

7. Filme "O Exorcista":

Minha avó não deixava a gente ver filme de demônio (mas às vezes a gente assistia mesmo assim). Isso já foi mais adolescente. Só vi o começo desse filme e nunca pretendo assisti-lo por completo. Não é pela menina virando a cabeça e etc, é pelas imagens de demônio que piscavam entre as cenas. Aquilo ficava na minha cabeça, as via quando fechava os olhos. E ainda acontece.


8. Vacinas e exames de sangue:

Odeio e tenho medo até hoje. Mesmo depois de velha, já cheguei a chorar para tomar vacina; e já desmaiei depois de tirar sangue. Só não era ruim quando minha mãe tirava meu sangue (ela trabalhava com isso). Quase sempre que vou tirar sangue, me furam mais de uma vez. :(

9. Emetofobia:

É o medo de vomitar. Tenho-o desde a infância. Piorou depois de velha. Sempre verifico se a comida está boa, na validade, e etc. Se alguém está passando mal, me afasto (*desculpa... ú.ù*). Teve uma época que evitava comer o alimento "do mal" (ou simplesmente não comer); até não conseguia dormir e chorava; não podia nem falar ou ouvir a palavra, que dirá ouvir histórias (porque ficaria pensando e imaginando). Hoje, já consigo falar e ouvir sobre, contudo as evito. Serviu para aumentar minha lista de motivos para não engravidar; ou para não beber, embora hoje em dia eu goste muito de encher a cara, porém sempre evito chegar nesse nível, Há 13 anos não passo pela experiência. E pretendo continuar assim. Prefiro ter 3 dias de diarreia. E se eu for vomitar, preciso de alguém do meu lado para me dar apoio moral, psicológico e emocional.

10. Me perder da minha família:

Só aconteceu uma vez, quando estávamos fazendo compras no supermercado. Comecei a chorar. *haha*

11. Minha avó:

Era um dos meus maiores medos. Ela era o bicho! *hahaha* Brincadeiras à parte, tive uma educação rígida e bem opressiva, logo, sou uma adulta com vários bloqueios, e sinto na pele diariamente. As consequências dessa educação me afetam em demasia. Se bobear, ainda tenho medo dela até hoje, mesmo depois de ela estar morta há mais de 3 anos. Não é a toa que faço terapia. Eu realmente preciso se eu quiser viver melhor.

12. Tirar nota baixa:

Está ligado ao medo que tinha da minha avó, porque se eu não tirasse nota boa, eu apanharia.  Mas sofri muito bullying na escola, por ser magra, por ser esquisita... Logo, eu tinha que ser boa em algo para melhorar minha autoestima e a maneira que encontrei era sendo CDF. Eu chorava quando tirava nota baixa.

13. Meninos:

Quando era bem pequena, dizia que nunca namoraria nem casaria, que queria ser freira porque não gostava de meninos. Contudo, é outro medo ligado à minha avó. Ela raramente me deixava ir para casa de amiguinhas; e dizia para nunca ficar sozinha com um menino (ou homem) ou deixar um me tocar, pois eles poderiam fazer coisas terríveis comigo, como pegar nos meus peitos (que eu nem tinha na época) ou nas minhas partes íntimas, e sabe-se lá o que mais! Me surpreende não ter virado lésbica, eu já tinha essa fama no colégio. *kkkkkk XD*


[edit 28.04.15]
Esqueci de um medo que era um dos maiores que eu tinha, como pude esquecê-lo??? Então são 14 agora, fica de bônus. XD
[/edit]

14. Ficar negra:

Não me importava em brincar com crianças negras, mas morria de medo de ficar negra. E eu gostava muito de piscina, logo, eu era bem bronzeada (graças à minha ascendência indígena, não sou bem branquinha e pego cor rápido), então sabendo do meu medo, alguém sempre me zoava e eu caia na pilha. Eu não gostava de feijão preto porque achava que me deixaria preta se comesse! hahaha Isso começou a sumir com uns 9 anos.



Esse post faz parte da blogagem coletiva do Círculo Secreto das Bruxas Blogueiras, um coven secretíssimo que reúne só as mais poderosas bruxas da antiga blogosfera. Fique de olho nos blogs participantes. Corvos estão voando e cartas estão sendo entregues.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Teve Lolita sim no Esquenta!

Lolitas no Esquenta! (12/04/2015)

No dia 12 de abril (domingo), foi ao ar o Esquenta! abordando cultura pop japonesa, com a participação de Lolitas - eu e minhas amigas, Morgana (Hime Lolita), Kassia (Gothic Lolita), Priscilla (Sweet Lolita), Roberta (Gothic Lolita) e Gabriella (Sweet Lolita). Deixei para postar depois de ver o resultado final.

Como aconteceu:

A produção do programa contactou a Kassia. Assim como eu e outras meninas, ela já está na cena lolita há algum tempo, e já havia participado do Encontro com Fátima Bernardes. Então, divulgou no grupo do FB. A produção pediu para não escolher as mesmas meninas do outro programa.

Tivemos que mandar uma foto do outfit que usaríamos no dia. O que tinha escolhido era um classic. Eles recusaram porque acharam que não estava suficientemente lolita. MAS OI???! Então quer dizer que eles sabem mais de Lolita que eu, que já estou nisso há anos? A Kassia explicou para eles, mas de qualquer forma, tive que trocar o outfit, e acabei com o punk. Acho que eles queriam algo mais chamativo, diferente, sei lá.

O dia da gravação:

Tivemos que acordar bem cedinho, eu ainda tinha muitas coisas a fazer antes de ir. Cada menina teve um motorista para buscá-la em e levá-la para casa.

Chegando lá, já começamos os preparativos. Tivemos um camarim, alguém para passar nossas roupas, almoço e sobremesa (que estavam muito bons por sinal), e 2 maquiadores - um era ruim e acabei ficando com ele. Muito azar... A maquiagem ficou meio bosta, ele não fez o que pedi, sujou meu cabelo e minha blusa (que era a do outfit) de base... Conclusão: tive que fazer boa parte da maquiagem e acabei bem atrasada. Fiquei desesperada e até rolou uma lágrima. Mas tudo bem, no fim, deu tudo certo.

Uma moça da produção fez um ensaio conosco. Eram perguntas que a Regina poderia nos fazer. Foi bem mais legal, todas as meninas falaram um pouco. Era mais como uma conversa do que uma entrevista.

Na hora de gravar, não levamos nem celular. Só a Priscilla levou, porque escondeu nos peitos. *kkkkk XD* Então, quase não temos fotos. Mas conseguimos tirar foto com a Regina e o Mumuzinho no final.

Foram umas 5 horas de gravação, fora todo o tempo de preparação. Começamos às 10h da manhã e só paramos às 21h!

A entrevista:

Nossa entrevista bem rápida. A Regina não fez metade das perguntas que ensaiamos, não foi tão legal como o ensaio. Apenas a Kassia e Priscilla falaram. Teria sido legal se todas tivessem falado um pouquinho, tínhamos tanta coisa legal e curiosa para contar (por exemplo, como é ir ao banheiro vestida assim) e não apenas ficado de enfeite - afinal, foi uma baita preparação para que tudo ficasse perfeito.

Falamos nossos nomes e onde moramos. Então, a Regina fez uma observação: com exceção de uma, todas eram da baixada e do subúrbio do Rio. O Arlindo perguntou se alguma já tinha ido vestida assim para um motel, e a Kassia respondeu "sim". *ahaha* Ela também falou um pouco sobre Boy Style, que o figurino de alguns assistentes tinha muito a ver com o estilo. E tudo que escrevi nesse parágrafo foi cortado.

No fim, mostramos as anáguas foi para quebrar um pouco o clima, já que o programa tenta passar descontração.  

E depois?

Divulguei no FB, avisei para os amigos e família. No dia de ir ao ar, vi o programa na casa de uns amigos. Quando chegou nossa parte, a tevê queimou! D: Tive que ver depois.

Sabíamos que muito seria cortado, e estávamos com medo disso. Estriparam nossa entrevista sem dó nem piedade. De 10 - 15 minutos para apenas 3 ou menos. E foram uns cortes bem tristes. Cortaram a observação legal e mais válida que a Regina fez. A maioria das lolitas não é rica, mas não é porque Lolita não é uma moda barata que não vamos fazer o que gostamos, né? Estudamos, planejamos, fazemos as próprias roupas, juntamos dinheiro, adequamos e reaproveitamos o máximo que podemos para termos algo digno.

Ficamos meio chateadas por terem dado mais foco a outras coisas que não tinham tanto a ver com o tema do programa.

Apesar de bem cansativo, foi bem legal e divertido (até me arrisquei sambar! hahaha). Não ganhamos nenhum dinheiro, mas pelo menos tivemos um camarim, motoristas, maquiadores, almoço, sobremesa... O pessoal da produção e os assistentes de palco eram supersimpáticos e nos trataram muito bem.

Num geral, as pessoas parecem ter gostado da nossa participação, só reclamaram mesmo dos cortes e das coisas sem noção do programa. Algumas tretas - não muitas - já estão aparecendo (não vou falar delas u.u), quase todas fora da cena lolita.

Embora eu não curta o Esquenta!, gostei de ter participado. Foi algo diferente, nunca tinha participado de um programa. Ganhei pontos de XP. *hahaha XD* E estou feliz com a repercussão, principalmente na cena lolita.






Antes, durante e depois da gravação.



  • Peruca: Bodyline
  • Lentes: Max Elegance Tri-Tone Red (HoneyColor)
  • Blusa: Renner
  • Saias: handmade
  • Meias: offbrand
  • Botas: Black Frost
  • Acessórios: offbrand