sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Da Saudade

Foto por Momota.M (FlickR)

A saudade, com a certeza do reencontro, é uma dor doce na alma, um susto agradável ao coração.

A saudade, com a certeza do nunca mais, é a mais cruel, dilacera e deixa em carne viva, machuca sem machucar, sangra sem sangrar. O sangue é lágrima. Deixa-te inteiro pra te lembrar que ainda está vivo. É estar em uma sala de tortura, é o carrasco afiando a lâmina, e tudo que se deseja é que ele faça logo para tudo cessar.

A saudade tem gosto, cheiro e toque. Tem um rosto e um nome. Foi apenas o que restou. E sou totalmente dela.