sábado, 23 de fevereiro de 2013

"Detona Ralph" e "Tainá, a Origem"

Detona Ralph.

Assisti esses filmes só por causa do +Glauco Morais.

"Detona Ralph" é um ótimo filme, bem fofo. À princípio, não estava afim de assisti-lo, nem sabia que sobre o que era. Roteiro legalzinho sobre heroísmo, amizade e (auto)aceitação, com personagens cativantes.

O que achei bacana é por ser Disney apenas. Não que ela não seja boa, porém as outras também são, só que ficam numa "briguinha", os filmes ficam parecidos e muitas vezes clichê. Bom, esse não é muito diferente, utilizaram o cara grandão (durão, às vezes bobão) com a menina fofinha (espertinha, às vezes irritante, como neste caso), geralmente dá certo, como em "Monstros SA" e "Meu Malvado Favorito".

"Eu sou mau e isso é bom.
Eu nunca serei bom e isso
não é ruim."
Outro clichê é o cara mau que não é mau ou quer se tornar bom. Também dá certo, quase todo mundo gosta de anti-heróis. Achei bem legal a ideia de um grupo de apoio / ajuda de vilões.

Gosto desses clichês. Foram usados inteligentemente junto com um tema incomum, e isso fez a diferença, acho até que dá para esquecer os clichês.

A Disney foi esperta ao pegar esse tema, Games. Há várias referências, de forma bem usada, que despertam uma baita nostalgia. Embora alguns comentaram que esperavam mais, quem curte games vai gostar bastante. Afinal, é uma animação de uma aventura com estas referências, e não um documentário sobre Games. Mas veio para "calar a boca" daquelas pessoas que menosprezam e rotulam erroneamente o mundo dos Games.

Os créditos são bem divertidos e gostei da música em japonês (quero saber qual é).

O que não me agradou muito foi a dublagem, achei fraca, mais pelos personagens principais. Graças ao Google, descobri que Tiago Abravanel dublou o Ralph e a Marimoon, a Vanellope (tá explicado porque a achei irritante... XD mas não importaria quem a dublasse, continuaria irritante), contudo, as vozes combinaram com eles.

Tainá, a Origem.

Como a maioria dos filmes brasileiros (principalmente os infantis), "Tainá, a Origem" é bem fraquinho, não me surpreendeu em nada. Não vi os outros e nem quero. Foi um divertimento, mas foi um dinheiro mal gasto.

Roteiro sobre amizade, bem e mal (de forma bem clichê) e preservação ambiental (o foco), com alguns furos. As piadas são bem bobinhas, e a atuação, fraca, principalmente das crianças. A menina que faz a Tainá é bem bonitinha. Não que não possa existir, mas ficou muito forçado ter um índio nerd, todo sabichão com seu notebook (aliás, como ele fazia para recarregá-lo?). Achei que o ator nem tem cara de índio. A Laurinha é bem chatinha no começo (fiquei pensando "alguém dá um tiro nela por favor?").

O trio vilão é bem idiota, sempre tem que haver um paspalhão retardado no meio (normal em nossos filmes infantis). Porém não dá para ser muito diferente, já que são apenas crianças tentando salvar a floresta e lutando contra eles. O fim do chefão é bem fraco também. Afinal de contas, o que ele era? Um tipo de demônio? Se não, por que representar uma pessoa normal parecendo um? Se sim, faltou explicação sobre isso, contextualizando a cultura indígena, que, aliás, senti falta de suas referências.

Não gostei da animação no começo e no fim, fazendo comercial da Petrobrás. Nem da dublagem dos animais, totalmente desnecessária. Foi até legal mostrar a fauna e a flora, mas também foi falho, ao dar a entender que o filhote de jaguatirica (foi o que mais me divertiu) era de onça. Tainá, como toda boa índia, do clã das guerreiras, devia saber.

Bem, as crianças não tem o que reclamar, devem achar o máximo e superdivertido (assim como eu achava os filmes da Xuxa). Tem a liçãozinha de moral, então, dá pro gasto.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Voltando

Num dia desse carnaval, eu e o Glauco fizemos uma maratona de cinema. Mesmo o cinema sendo "do lado de casa", fui bem arrumadinha, pra compensar o dia do meu aniversário (dia 5). Para mim, foi mais uma comemoração.


  • Vestido: Forever 21
  • Sandália: Azaléia
  • Corsage, acesssórios, meia, bolsa, franja: Offbrand

Assistimos "Detona Ralph", que é ótimo, e "Tainá, a Origem". Já tenho um rascunho das resenhas deles, logo mais postarei.

Na sexta, começo do carnaval, fui trabalhar de Guro Lolita, que tinha comprado para o Halloween do ano passado, mas não chegou a tempo, então aproveitei.


  • Blusa: Le Carrousel
  • Saia: Me Likes Tea (?)
  • Sapato: Bodyline
  • Peruca: Bodyline (?)
  • Meia: Offbrand
  • Laços: Le Carrousel ou Me Likes Tea
  • Ataduras: Offbrand - DIY

Meu aniversário foi bem simples, como um dia normal, mas legal. Como caiu no meio da semana, avisei no trabalho que não trabalharia. Fui para a casa da minha mãe, afinal, se fosse para ficar só nesse dia, era melhor trabalhar. Joguei um pouco de Minecraft com meus irmãos. À noite, fomos para casa do meu avô para saber aonde iríamos. Quando abri a porta, surpresa!, havia alguns amigos cantando parabéns e um bolinho de chocolate, tudo organizado pelo Glauco. <3 O Beto me deu um livrinho que eu estava querendo, já que tenho o primeiro. ^^

The Walking Dead, o Caminho para Woodbury,
presente do Beto.

Muita gente me deu parabéns pela internet. Nunca havia recebido tantos. Fiquei muito feliz.

Só o que me incomoda é que meus avós paternos não me parabenizaram, assim como no ano passado.

Falando nisso, passei o Ano Novo com eles e outros parentes paternos em Brasília. O Natal, passei com minha mãe. Foi um bom fim de ano, embora eu tenha ficado longe do Glauco nas datas comemorativas.

Comecei outra lista de metas, mas até agora não consegui terminar... Espero terminar ainda esse mês.

No trabalho, as coisas estão corridas. E deve piorar, porque a empresa se mudará para o Recreio, super longe de casa... Vai ser muito ruim na volta, principalmente quando eu tiver aula às 18h. As aulas começarão esta semana, oh não... Vou sentir falta das férias. T.T