terça-feira, 19 de maio de 2015

30 Letters: A deceased person you wish you could talk to


[Instagram @ Luxferia]

Você lembra disso? Mesmo depois de tantos anos, ainda tenho o baralho de Magic que você me deu. Sempre que penso em Magic, penso em você. Você me ensinou a jogar. Não lembro mais como se joga, mas guardei-o com carinho, pois é uma lembrança concreta sua. Você foi meu primeiro namorado e marcou uma fase boa da minha vida.

Gostaria de ter alguma foto nossa daquela época. Foram quase 2 anos, até que começarmos a namorar.

Será que você, de vez em quando, sem querer, pensava em mim, assim como eu pensava em você? Sempre guardei um carinho por você em todos esses anos e sempre guardarei.

Até cheguei a desenhar um personagem inspirado em você. Comecei a gostar de Tenchi Muyo por sua causa. Era apaixonada pelo Tenchi e pelo Youta porque tinha te projetado neles.

Lembro até hoje do seu telefone, era um número ridiculamente fácil. Por muitas vezes, tive vontade de te ligar, só para dar um oi, saber como estava sendo sua vida. E vontade de te ligar nos seus aniversários. Nunca esqueci seu dia.

Se lembra quando nos conhecemos? Neste mês, fez 14 anos, ainda sei a data. Tinha escrito num diário. Foi no passeio do colégio para Petrópolis. Amo esse lugar principalmente por causa desse dia. Foi quando me apaixonei por você.

Lembrei que, num outro diário, era para você ter me escrito uma dedicatória, e você fez um pedido de namoro.

Lembra da vez que te dei um perfume, "One of Us", d'O Boticário de aniversário, com um cartão? Era ótimo, principalmente quando o cheiro dele passava de você para mim, sem querer. Fiquei um bom tempo guardando dinheiro, ainda nem namorávamos.

Sempre que eu saía mais cedo do colégio, ia correndo para sua casa para aproveitar esse tantinho de tempo. Em uma dessas vezes, brincamos de cosquinha (ou algo do tipo) e acabamos debaixo da mesa. Você havia me prendido e ficamos um tempo calados, olhando um para o outro, e você acariciou meu rosto. Achei que me beijaria naquele dia.

E da vez em que você estava deitado no meu colo, assistíamos a Dragon Ball e de repente a programação foi interrompida por causa do atentado às torres gêmeas. Naquele momento, só me interessava estar contigo.

Se lembra quando nos beijamos pela primeira vez? Era de tarde, estávamos no jardim do bloco 2. Você tropeçou (ou fingiu) e te segurei. Você me olhou bem nos olhos, como pudesse me partir em duas, de tão indefesa... Nossos rostos tão próximos...

A última vez que te vi foi na noite de um domingo frio e chuvoso de dezembro. Tínhamos 18 anos. Recém-solteira, sem amigos, eu precisava me distrair e estava com saudades, então tomei coragem e te liguei. Você atendeu. E topou encontrar comigo para bater papo mesmo se recuperando da pneumonia. Naquele dia, tive vontade de te beijar. Contudo, era ilógico, já que eu sabia que nunca voltaríamos. O tempo havia passado e já éramos outros.

E passou rápido demais. E abriu um abismo entre nós. Não queria que o tempo tivesse nos distanciado. Queria ter mantido uma amizade. Dói-me saber que isso nunca mais será possível. Saber que nem na mais remota possibilidade não nos esbarraremos por aí.

Sei exatamente onde te encontrar nesse momento, porém assim é de partir o coração. Preferiria que você estivesse por aí na sua moto ganhando o mundo, e vendo crescer e cuidando de seu filho. Só consigo pensar nele, em como ele deve estar sentindo a sua falta.

Eu te amei.

Sei que a morte faz parte da vida, é natural e é a única certeza que temos. Contudo, a maioria de nós não está acostumada com a ideia de que tudo acabará um dia, e de como a vida é frágil e, por isso, preciosa. Assusto-me, ainda mais se tratando de alguém jovem.

Ainda não consigo acreditar (nem aceitar) que você foi embora para sempre. Ainda nem sei o que te aconteceu. Nem pude dizer adeus. Queria ter me despedido de você uma última vez, de ter te dado um último abraço.

Agora, só nas minhas lembranças. O tempo nos fez mudar por dentro e por fora. Talvez não nos reconheceríamos na rua. Mas pelo menos terei sempre seu rosto na memória, daquele Diogo tão moço, cheio de vida, que gostava de Rock, e de olhar melancólico e bonito.

Estive pensando em te visitar, te levar umas flores e ler essa carta. Pena que você nunca lerá. Porém, de alguma forma, espero que isso chegue até você, onde você estiver.

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Tag: Minha vida em 10 músicas


A Larissa linda me indicou para fazer essa tag musical. Já que é assim, fiz e curti. Só foi meio difícil as escolhas porque sou bem indecisa, sabe? Então vai lá.

1. Uma música que lembre um momento bom: Ária, a Rainha da Noite, Mozart
"So bist du meine Tochter nimmermehr."
Ficou bem difícil escolher, tenho tantas candidatas. Então, escolhi uma que fez parte da minha vida, minha infância. Quando eu era criança, adorava música erudita. Desenvolvi esse gosto por mim mesma, minha família nunca foi de ouvir isso. Uma vez, vi um comercial de um carro, e enquanto ele passava, tocava essa música e os vidros ao redor estouravam. Me encantei e comecei a cantar. Quem me conheceu criança vai lembrar de mim "cantando ópera", e eu cantava muito bem, direitinho, só tinha muita vergonha.


2. Uma música que defina sua vida: Teatro dos Vampiros, Legião Urbana
"Sempre precisei de um pouco de atenção
Acho que não sei quem sou
Só sei do que não gosto"
Numa blogagem coletiva do Círculo Secreto, haviam me perguntado uma música que me definisse, e eu escolhi essa. Acho que essa música define bem não só como me sinto por dentro, mas também por fora. Além de concordar com e achar ainda atual crítica social e política dela, acabei relacionando para minha vida, se tornou algo pessoal. Além disso, Legião Urbana marcou minha infância, lembro de mim e minha mãe cantando as músicas quando estávamos no ônibus.


3. Uma música que te faz dançar na balada: Girls Just Wanna Have Fun, Cyndi Lauper
"That's all we really want some fun
When the working day is done
Oh girls they wanna have fun
Oh girls just wanna have fun"
Gosto muito das músicas (na verdade, não só delas) dos anos 80 (e 90 também), e essa me faz ter vontade de sair pulando e dançando na mesma hora que a ouço. É alegre, vibrante e divertida. Como tenho 2 pés esquerdos, não preciso saber dançar, nem dançar "sexymente" para dançá-la. E gosto muito da mensagem que ela traz, é como me sinto, e que eu deveria estar me divertindo mais na vida (talvez eu a tatuasse... rs).


4. Uma música que foi tema de um relacionamento: Equalize, Pitty
"E eu acho que eu gosto mesmo de você
Bem do jeito que você é"
Sabe aquele relacionamento mais feliz que você já teve? Pois é... Bem, ele dizia que sempre que ouvia essa música, lembrava de mim. E aí, ele ouvia, ouvia e ouvia. Depois que ele me disse isso, eu também passei a ouvir por causa dele. E ainda quando ouço, lembro dele. Estava aprendendo a tocar no violão para poder tocar para ele, mas infelizmente não deu tempo.


5. Uma música que sempre te faz chorar: You, Keaton Henson
"If you must die, sweetheart
Die knowing your life was my life's best part
If you must die
Remember your life"
É a música que eu gostaria que alguém cantasse/tocasse/dissesse para mim naqueles meus momentos ruins, enquanto me abraça. A verdade é que sou bem chorona e as últimas que mais me fizeram chorar foram "Autumn Tree", Milo Greene; "I See Fire", Ed Sheeran; e boa parte das do Keaton Henson, especialmente essa. Ele é a mais sublime e doce melancolia.


6. Uma música que seria toque do seu celular: tema de Game Of Thrones em 8-bits

Acho muito foda o tema de GOT e, como gosto de músicas estilo video game, por muito pouco não a coloquei como toque de celular. Acabei colocando a de The Walking Dead, em 8-bits também. Amava quando me ligavam. *hahaha*


7. Uma música que você gostaria de tatuar: Good Day, The Dresden Dolls
"I'm on fire"
Essa é uma música forte, me motiva, me faz me sentir viva e diva. Adoro colocar no último volume e cantar a plenos pulmões. Ela me ajudou muito nos fins dos meus relacionamentos. Tenho muita vontade de tatuar esse verso para sempre me lembrar, na verdade, se eu pudesse tatuaria a letra inteira. E adoro a Amanda Palmer. <3


8. Uma música que te deixa com vontade de ficar com alguém: I Don't Wanna Miss a Thing, Aerosmith
"Don't wanna close my eyes
I don't wanna fall asleep
'Cause I'd miss you, baby
And I don't wanna miss a thing"
Eu não só ficaria, como CASARIA com a pessoa, se ela cantasse (e/ou tocasse) isso para mim. Ficaria toda derretida. Sonho com um pedido de casamento com essa música. Simplesmente linda e perfeita. Então... #fikadika, pretendentes kkkk XD


9. Uma música que você está viciada agora: A Praia, Cícero
"Ela fez melhorar tudo que há
E me levou até tudo que é"
Essa foi difícil, porque há cada semana estou com um vício novo. Quando a ouvi pela primeira vez, escorreu uma lágrima. A letra é pura poesia e o que mais me encanta nela é a melodia, o instrumental. É do novo álbum. Além dela, tenho escutado "Linger", "Zombie" e "No Need To Argue", de The Cranberries; e "Creep", de Radiohead, porque ensaiarei com um amigo.


10. Uma música que faz as pessoas lembrarem de você: Bring Me To Life, Evanescence
"Call my name and save me from the dark"
Evanescence marcou minha adolescência até começo da vida adulta, quando era era uma menina gótica que sonhava em ter uma banda de rock. As pessoas que me conheceram naquela época sabem bem como eu gostava e também me pediam para cantar, além dessa, a "My Immortal" também.